sábado, 27 de setembro de 2008

Ponto de Cruz

Aqui vos deixo algumas fotos dos trabalhos de ponto de cruz que terminei.
1. Um individual, com ponto aberto, cercadura, fundo branco bordado em azul escuro.
2. Quadro: ramo de flores bordado em tons de azul e verde com uma cercadura.
3. Quadro com motivos de cozinha, bordado em tons de azul.
4. Quadro: moínho de vento bordado em tons de azul.

9 comentários:

Ana'scloset disse...

Também ando de volta de um quadro de ponto cruz à quase 1 ano... mas demora tanto tempo, que tem mesmo de ser às prestações!
Gostei muito do moinho e da cozinha! Eu estou a fazer um que é uma paisagem, no pôr do sol... =)

Beijinhos

Eden disse...

Olá Ana.
O ponto de cruz é mais moroso e demora-se mais a ver o resultado final, especialmente quando mete esquemas complicados com muitas variações de cores.
Já o ponto de arraiolos é diferente: são telas de dimensão diferente, linhas proporcionais, mas o ponto de cruz tem o seu charme. É sinónimo de trabalhos "delicados". Tudo o que seja ponto de cruz, encanta-me!
Tenho a certeza que o resultado final do teu quadro vai ficar fantástico, à semelhança de todos os trabalhos com que nos tens presenteado ;)
Beijinhos.

Ana'scloset disse...

O que estou a fazer tem muitas cores e muito pormenores, daí nunca mais estar pronto...
Arraiolos não sei fazer, embora uma vez tenha visto uma revista que me deixou a pensar no assunto! Eram tapetes com um design muito moderno, infelizmente não a adquiri. =/

Ainda quanto ao ponto cruz, se calhar ainda posto alguns quadros que já fiz... quando tiver oportunidade!

Beijinhos

Eden disse...

Ok, fico a aguardar os teus trabalhos. Experiência em ponto de cruz tenho bastante, por isso, se precisares de algumas dicas, é só dizeres!

Tens mesmo que experimentar arraiolos.
O princípio básico é o mesmo do ponto de cruz, contudo, a tela e as lãs largam bastante pó e é um trabalho que se torna insuportável de Verão, pois trabalha-se com materiais quentes.
Eu sou fã da revista Linhas & Pontos, que maioritariamente tem trabalhos de ponto de cruz, mas também, por vezes, traz artigos de patchwork e arraiolos, entre outros.
Acho que tenho aqui um esquema de um tapete moderno, com várias cores. Depois, se quiseres, posso procurá-lo e envio-te por mail.
Beijinhos.

Ana Carina disse...

Olá Eden,

Parece que descobri um novo blog de costura e outras artes.

Fiquei ainda mais ademirada por seres leitora do meu blog!
Desde já o meu Obrigado!

Agora, comentando o teu perfil...acho que temos pelo menos 2 coisas em comum: a costura, e a música.
Também eu gosto de cantar e a música sempre fez parte da minha vida desde que nasci, mais a sério desde os 7 anos...e ainda mais a sério desde os 11 anos, altura em que comecei a ter aulas de canto.

Para partilhar a minha experiência em Ponto Cruz, também já fiz 4 quadros pequenos de cestos de flores (para não variar).
Confesso que não ficaram perfeitos, mas também fizeram parte da minha aprendizagem.

Iniciei depois um quadro enorme: um regador cheio de flores...o que se passou?! Ainda está por terminar (quer dizer...já está começado mas ainda falta muito para terminar). Acho que nunca terei tempo para me dedicar a ele, mas nunca se sabe!

Virei visitar-te, de certeza mais vezes e desejo que a reparação da tua máquina seja rápida!

Beijinhos

Eden disse...

Olá Ana Carina.
Espero poder trocar ideias e aprender novas coisas contigo.
O teu blog tem imensas dicas e ideias muito giras para novos projectos. Tens imenso jeito para desenho (ao contrário de mim!).

Relativamente ao meu perfil, então ainda temos mais uma coisa em comum: eu também tive aulas de canto durante 10 anos. Entretanto tive que desistir, por falta de tempo.
É uma coisa que me faz imensa falta e era o meu escape... meia volta, vou-me abaixo...

Quanto ao ponto de cruz, orgulho-me de dizer que aprendi sozinha e sei fazer perfeitinho. Fazia e desfazia, até ter os pauzinhos todos na vertical (da parte de trás do pano), remato tudo pela frente em trabalhos em que se vê o avesso do tecido, tipo toalhas, babetes, etc. Nos quadros, remato pelo avesso.
Eu tenho também um trabalho de ponto de cruz em stand-by, mas desconfio que o vou re-fazer, noutra cor. Mudei a decoração e agora não se enquadra bem. De forma que antes que a coisa evolua mais, vou re-fazê-lo noutra cor.
Aposto que o teu regador tem imensas cores: isso é que fazes demorar o ponto de cruz: enfiar a agulha e voltar a mudar de cor.
Aqui fica uma dica: utilizas várias agulhas enfiadas em simultâneo. Assim, sempre que precisares de mudar de cor, é só pegar noutra agulha, a qual está previamente enfiada. Eu cheguei a trabalhar com cerca de 8 agulhas ao mesmo tempo.

Quanto à minha máquina, desconfio que compro uma nova... começo a desesperar!
Desde o Verão que ando a viver este filme, tipo pesadelo.
É uma máquina antiga, da Singer, pelo que as peças são raras e é um bocadito complexa de se trabalhar.

Obrigada pela tua visita.
Bjs.

Ana Carina disse...

É ideia de criar um blog é mesmo essa: partilhar ideias e experiências e aprender coisas novas com outras pessoas. Eu tenho aprendido imenso!

Até os "10 anos" temos em comum...incrivel não é?!

Quando fiz esses primeiros quadros devia ter 12/13 anos, mas depois aprendi com uma professora o preceito do ponto cruz. Rematar pela frente e a "engenharia" para que só fiquem os tracinhos na vertical no avesso.

Pois é, o quadro do regador tem imensas cores (até branco!) gastei tanto dinheiro nas linhas e na tela para ficar parado?! Acho que tenho de voltar mesmo a pegar nele.
Ora aí está uma bela dica! Ter várias agulhas...nunca tinha pensado nisso!

Provavelmente o melhor é comprares mesmo uma nova máquina de costura até porque as antigas não fazem certos pontos que uma máquina moderna faz...principalmente casas para botões automáticas. Muito útil!
Acho que vale a pena o investimento até porque elas são em conta!.

Beijinhos

Eden disse...

Fantástico... duas pessoas que nunca se conheceram, partilham experiências, gostos e uma série de coisas que nem sabemos... é muito giro!
Eu também tenho uma gatinha, mas a minha é morenaça e de olhos verdes(só tem uma pequena pinta branca junto a uma orelhita).

Há que rentabilizar o investimento, até porque os materiais são bastante caros e é uma pena desperdiçarem-se. Como essa dica das agulhas, tenho várias.
Por exemplo, em quadros complexos, eu nunca faço o trabalho pelo esquema original. Tiro sempre uma fotocópia e fazendo as devidas contagens, faço um pedaço numa dada cor, mesmo que tenha cores pelo meio. Vou riscando na fotocópia e parece que não, rende muito mais.
Tenho pena de não ter fotos de grande parte dos trabalhos que fiz, já bastante complexos, visto que a maior parte foi para oferecer...

Aquela máquina tem uma série de acessórios com os quais não sei trabalhar. Depois de a máquina estar reparada, vou estudar o manual, e ver as suas potencialidades.
As máquinas que tehno visto, da Singer, são super caras: tudo de 300€ para cima. Assim, o rombo é um bocadito maior...

Para os trabalhos que tenho planeados, para já não preciso de casas, uma vez que não vou utilizar botões :)

Aconselhas algum modelo em particular?

Ana Carina disse...

Eu sou suspeita...
...eu adoro a minha singer 7466! É talvez o "topo de gama" da singer que se vende em Portugal custou aprox. 400€.

É excelente! Até agora não tenho razões de queixa! Aliás...talvez ela faça coisas que eu nunca vou utilizar.

Mas existem outros modelos mais acessíveis 150€ são modelos que fazem os pontos básicos.

Sabes que estas coisas das máquinas antigas, quando se parte uma peça, difícilmente se encontram para que possamos reparar.

Beijinhos